Refluxo gástrico é normal (RGE) ou a mais rara, mais grave, doença do refluxo gastroesofágico (DRGE)? Qual é a diferença entre RGE e DRGE?

Flash PresentationO RGE – refluxo gastroesofágico é simplesmente definido como o fluxo reverso do conteúdo do estômago para o esôfago (o tubo que liga a boca ao estômago). RGE é um processo normal e comum que ocorre de vez em quando em quase todas as idades, especialmente após as refeições. Geralmente envolve regurgitação. Quase todos os bebês irão regurgitar ou “cuspir” após a mamada, estejam eles mamando no peito ou na mamadeira. A prevalência de pico de RGE atinge entre 1 e 4 meses de idade 1 e geralmente desaparece em 6 a 12 meses.2 Regurgitação, ou “cuspir”, acontece em até dois terços (65%) de crianças saudáveis, 3 mas diminui para 1% dentro com um ano de idade. Bebês com RGE regurgitam sem sinais ou sintomas secundários de ganho de peso inadequado, esofagite ou doença respiratória. Bebês com RGE estão aumentando e representam a maioria das consultas no pediatra.

Em contrapartida, a DRGE (Doença do Refluxo Gastroesofágico) é um processo patológico menos comum e mais sério, que geralmente requer acompanhamento médico e diagnósticos. Ele também é conhecido como como “RGE patogênico”. Aproximadamente 1 em cada 300 bebês apresentará sinais e sintomas de DRGE, e é mais comum em crianças com comprometimento neurológico.4 Os pacientes com DRGE podem manifestar regurgitação persistente, com complicações típicas, tais como crescimento inadequado, falta de crescimento, alimentação e aversões orais, esofagite, etc., ou complicações atípicas como chiado, pneumonia, sinusite crônica, etc.5

O que é “DRGE ou RGE Silencioso”?

Quando não ocorrem sintomas externos ou típicos, isso pode indicar que o refluxo não está voltando até o esôfago e para a boca, e sim só parte do caminho. Algumas crianças podem engolir o refluxo em vez de cuspir ou vomitar. Isso pode ser muito mais difícil de diagnosticar, uma vez que os sintomas típicos não podem ser vistos. Isso também pode ser mais prejudicial para o esôfago, pois o ácido não só aparece, como também volta. Independentemente de a condição precisar ou não ser tratada, isso depende das complicações que ela pode criar.

O que é Refluxo Laringofaríngeo?

Quando o ácido do estômago segue seu caminho até o esfincter esofagico superior (EES) e para a parte traseira da garganta, ele pode causar problemas como dor de garganta, rouquidão, tosse crônica, etc.. A garganta e parte traseira das passagens nasais são extremamente delicadas e sensíveis.

O que é “RGE Secundário”?

No RGE secundário, algo mais está ocorrendo para causar episódios. Uma possibilidade é a estenose pilórica, na qual há um bloqueio do esfíncter pilórico. Outros exemplos podem ser alergias alimentares, distúrbios metabólicos, infecção, etc.

Os Benefícios da Amamentação com Leite

Materno mostram ter menos episódios e episódios menos graves de refluxo do que os seus bebês que não mamam leite materno. O leite humano é mais facilmente digerido do que a fórmula e sai do estômago duas vezes mais rapidamente. Isto é importante visto que qualquer atraso em esvaziar o estômago pode agravar o refluxo. Quanto menos tempo o leite passa no estômago, menor será a possibilidade de voltar para o esôfago. O leite humano também pode irritar menos o esôfago do que as fórmulas artificiais.6

Outra vantagem de amamentar o bebê é a proximidade entre a mãe e o bebê. Quando seu bebê está com dor ou triste, é fácil ficar irritado ou estressado. A amamentação é a maneira perfeita que a natureza tem de confortar seu bebê, e os hormônios produzidos por você durante a amamentação ajudam a promover o relaxamento, que ajudam muito um bebê iritado. A amamentação mantém você em contato com os sinais do seu bebê, e enquanto você infelizmente não pode eliminar o desconforto ou a infelicidade do seu bebê, o conforto que a amamentação fornece, com a proximidade e o contato corporal, é inigualável. Um desafio comum que muitas vezes surge quando estamos lidando com o refluxo é que o bebê pode não querer mamar, pois sabe que logo sentirá dor. Isso pode ser extremamente frustrante para você e seu bebê com fome, e pode resultar em não ganhar muito peso.

Veja aqui algumas técnicas para incentivar o seu bebê a mamar:

  1. Minimize as distrações e faça deste momento um momento calmo e tranquilo. Amamente em um quarto quieto, escuro e toque música calmante no fundo.
  2. Tente amamentar quando o bebê estiver sonolento. Bebês com refluxo tendem a acordar mais vezes, então aproveite esta oportunidade para dar uma mamada extra. Mantenha o bebê perto de você durante a noite.
  3. Mantenha contato com o bebê e o dê muito carinho. Tente amamentá-lo em um banho morno.
  4. Pratique amamentar em posições diferentes, e experimente amamentar de pé e andando. Os slings são ótimos para isto, e ajudam a manter o bebê ereto enquanto você mantém suas mãos livres.

Se o seu bebê estiver feliz e crescendo normalmente, qualquer refluxo pode ser RGE, e não DRGE. Você pode tentar as seguintes dicas para minimizar o cuspe:

  1. Faça o bebê arrotar com frequência.
  2. Tente manter o bebê em posição vertical durante e após as mamadas. Amamente frequentemente. Amamentações menores e mais frequentes são mais fáceis de digerir.
  3. Se você tiver muito leite, e seu bebê engasga ao mamar e depois cospe, tente oferecer apenas um peito por mamada. Você também pode tentar tirar o bebê do peito quando o primeiro leite descer, e colocá-lo de volta no peito após o fluxo inicial de leite diminuir.
  4. Se o seu bebê quiser mamar constantemente, mas cospe depois de cada mamada, ofereça uma chupeta. Isso pode impedir de sobrecarregar o estômago do bebê e cuspir o excesso. No entanto, se o bebê não estiver ganhando peso corretamente e fazê-lo mamar for uma batalha, ele deve gastar todo o seu tempo de sucção no peito.
  5. Após as mamadas, tente segurar o bebê em pé por meia hora ou o deixe ficar encostado na posição vertical em seu peito. Você também pode usar um canguru frontal ou sling ou colocar o bebê em um berço ou cadeirão. Uma inclinação de 45 graus é ideal, já que mais do que isso pode colocar muita pressão sobre o estômago e piorar as coisas.
  6. Tente identificar os alimentos ou as vitaminas na dieta da mãe ou do bebê que possam estar causando uma reação. Evite alimentos que exacerbam o refluxo. O culpado comum, o leite, é passado ao bebê através da amamentação, o que pode causar alergias ou sensibilidades. Tomates, citrícos, alimentos ricos em gordura, bebidas gaseificadas e alimentos processados são alguns dos agressores comuns. Se você não estiver amamentando, fale com seu médico sobre como experimentar diferentes fórmulas. Manter um diário ou registro também pode ajudar a determinar as reações que seu filho pode estar tendo.
  7. Flash PresentationNo passado, era frequentemente recomendado que as mães adicionassem cereais para engrossar as mamadeiras dos bebês. A teoria era que o alimento mais grosso era mais difícil de voltar ao esôfago. Este método não se mostrou eficaz e pode interferir com a amamentação. Ele também pode causar mais irritação para o esôfago do bebê, caso seja aspirado. “A introdução de alimentos sólidos cedo demais interfere com a amamentação ao substituir o leite materno na dieta do bebê e diminuir o suprimento de leite da mãe. Isso também pode pôr o bebê em risco, facilitando o fato de alimentos sólidos serem regurgitados, que é irritante para os tecidos do corpo e pode ser aspirado para os pulmões do bebê. Os alimentos sólidos também têm o potencial de desencadear alergias em um bebê já sensível.” Do livro: “The Breastfeeding Answer Book”, Mohrbacher, N., and Stock, J., 2003, La Leche League International
  8. Muitos pais relatam resultados promissores com um medicamento homeopático chamado Colic Calm para controlar o refluxo e o desconforto que o acompanha. Muitos profissionais de saúde natural estão recomendando aos pais com bebês que sofrem de RGE. Não deixe de falar com o pediatra de seu filho e experimentar este remédio homeopático natural antes de recorrer a medicamentos prescritos.

Experimente essas sugestões, porque o que funciona para um bebê pode não funcionar para outro. Trabalhe de perto e converse com o seu pediatra, visto que o tratamento pode exigir a tentativa de diferentes opções até encontrar uma que funcione para o seu bebê.

Se essas medidas não funcionarem, o próximo passo é falar com o médico sobre uma avaliação diagnóstica e opções de tratamento. Os medicamentos prescritos reduzem o ácido do estômago, portanto, suprimem os sintomas de inflamação esofágica e dor associada ao refluxo. Growth of Acid BlockersMedicamentos comumente usados incluem Zantac (uma marca do bloqueador H2 – ranitidina) ou Prevacid (uma marca do inibidor da bomba de protões – lansoprazole). No entanto, como os medicamentos bloqueadores de ácido interferem com o processo digestivo natural do corpo, nutrientes importantes como ferro, cálcio e ácido fólico não são bem absorvidos. Dado o estágio formativo do desenvolvimento do bebê, isso pode ser um dos vários efeitos colaterais indesejáveis. Como o ácido do estômago também faz parte do sistema imunológico do corpo por matar bactérias indesejáveis no intestino, estes medicamentos tornam o bebê mais suscetível a infecções de estômago. A cirurgia é o último recurso, e é reservada para casos graves com complicações perigosas, e somente depois que todos os outros tratamentos falharem. Uma opção natural, como Colic Calm que não expõe o bebê a tais efeitos colaterais é geralmente preferível a medicamentos prescritos ou cirurgia.

Certifique-se de receber muito apoio e ajuda ao lidar com todo esse estresse extra. Peça ajuda! Peça para alguém fazer ou trazer a sua comida, ou passear com seus filhos mais velhos por um tempo. Um bom grupo de apoio para pais que lidam com refluxo é o PAGER. PAGER é uma organização americana que fornece informações e apoia as famílias com crianças com esta condição. Eles têm folhetos, fazem reuniões mensais e publicam um boletim mensal.

Se seu bebê tiver refluxo, tente manter uma atitude positiva e lembre-se de que em quase todos os casos, o cuspe e RGE ocorrem em bebês saudáveis que precisam apenas de um pouco mais de tempo para crescer. Antes que você perceba, seu bebê será um adolescente, e aí sim, começarão as preocupações!

*Aviso legal: As informações fornecidas neste site não devem ser usadas como um substituto para cuidados médicos profissionais para a prevenção, diagnóstico ou tratamento dos sintomas de seu filho. Consulte o médico ou farmacêutico de seu filho antes de tentar qualquer medicamento (com ou sem receita) ou seguir qualquer plano de tratamento mencionado. Essas informações são fornecidas apenas para ajudá-lo a ter mais informações sobre o estado de seu filho.

O que os Pais Estão Dizendo

Parent Testimonials

“Meu bebê tinha apenas três semanas de idade quando meu pediatra o deu Zantac para refluxo. Eu estava muito desconfortável em usar medicamentos prescritos em um bebê tão pequeno, mas eu também não queria que Dylan sofresse. Eu estava preocupada com os efeitos colaterais em seu pequeno sistema. Logo depois, descobri Colic Calm e decidi tentar, mesmo não acreditando muito. Vocês não estão brincando quando afirmam que a Mãe Natureza tem o melhor remédio! Conseguimos parar de dar Zantac. Estou muito grata por ter encontado uma solução natural perfeita. Espero que outras pessoas descubram sobre Colic Calm. Obrigada do fundo do meu coração!”

Michelle R. – Houston, TX

“Minha filha foi diagnosticada com refluxo ácido. Ela não hesitou em nos deixar saber que não estava confortável. Eu nunca tive um bebê com problemas de refluxo. Comecei a amamentar e pensei que esse era o problema. Mudámos várias vezes de fórmulas pensando que ela era intolerante à lactose. Finalmente, nosso médico prescreveu Zantac. Nós não queríamos que ela tomasse esse tipo de remédio, mas também não queríamos que ela sofresse. Então, como uma mãe preocupada, pesquisei sobre o refluxo na Internet e encontrei sua cura. Só tenho a dizer que estamos muito gratos por ter encontrado este produto e por ele ser natural. Nossa filha já não toma mais o remédio prescrito e prejudicial que pode ter efeitos colaterais e ela está muito feliz. Vou contar para todas as nossas farmácias locais e lojas de produtos naturais sobre este produto.”

Elizabeth B. – Sicklerville, NJ

“Meu filho tem refluxo. Colic Calm salvou sua vida. Ele ajuda meu filho a arrotar sem regurgitar. Ele consegue soltar gases sem sentir dor. Ele logo se acalma após começar a chorar. Recomendei a uma amiga cujo filho também tem refluxo, e ela está recomendando a uma de suas amigas na mesma situação. Obrigada por um produto tão maravilhoso… Por favor, recomende Colic Calm para os pais de crianças com refluxo. Refluxo é ainda pior do que cólica, pois eles ficam irritados durante o dia inteiro. Colic Calm foi um verdadeiro milagre e eu quero ajudar o máximo de bebês com refluxo que eu puder. Eu postei seu link em um quadro de mensagens para bebês com refluxo para que outros pais possam se beneficiar deste remédio maravilhoso!”

Nancy Z. – Woodstock, GA

“Meu filho sofre de refluxo gástrico. Ele sempre cuspia e ficava muito irritado. Eu não sabia mais como lidar com o choro quando minha amiga encontrou o seu site. Já ouvi falar de diferentes medicamentos que dizem ajudar, mas eu não confiava ou acreditava neles. Meu bebê adora o gosto do remédio e adora quando pingamos as gotas em sua boca. Agora, ele não está mais cuspindo, e está muito mais calmo e feliz. Este remédio foi a melhor coisa que eu já encontrei e vale cada centavo. Já comprei mais dois frascos e planejo comprar mais se precisar. Eu definitivamente comprarei mais para meus futuros filhos. A minha amiga que me indicou o seu site está grávida e eu contei sobre esse milagre. Agora ela é quem está comprando alguns frascos antes de o seu filho nascer em agosto. OBRIGADA, OBRIGADA, OBRIGADA”

Maryann C. – Chula Vista, CA

Eu queria que vocês soubessem como seu produto é maravilhoso. Minha filha de 2 meses e meio tem refluxo ácido, e estava se recusando a comer. Os médicos tinham dado prevacid 2x ao dia e Gaviscon 4x ao dia, e ela ainda estava se recusando a comer, e eu estava muuuuito frustrada. Finalmente, decidimos tentar colic calm após ler todos os comentários, e ele realmente funcionou! Ela começou a comer! Ocasionalmente, ela ainda tem um dia ruim, mas nunca mais se recusou a comer. Voltei a trocar suas fraldas, e agora tenho paz de espírito novamente ao saber que ela está comendo e crescendo como deveria. Obrigada por criar um produto maravilhoso!”

Emily H. – Tonawanda, NY

Referências

  1. Orenstein SR. Infantile reflux: different from adult reflux. Am J Med 1997;103:S114-9.
  2. Vandenplas Y, Lifshitz JZ, Orenstein S, Lifschitz CH, Shepherd RW, Casaubon PR, et al. Nutritional management of regurgitation in infants. J Am Coll Nutr 1998;17:308-16.
  3. Hart JJ. Pediatric gastroesophageal reflux. Am Fam Physician 1996;54:2463-72.
  4. Behrman RE, Kliegman R, Jenso HB, eds. Nelson Textbook of pediatrics. 16th ed. Philadelphia: W.B. Saunders, 2000:1125-6.
  5. Orenstein SR. Gastroesophageal reflux. Pediatr Rev 1999;20:24-8.
  6. Breastfeeding the Baby with Reflux, La Leche League International, 1999.